CAVALEIROS DO NORTE / BCAV. 8423!

CAVALEIROS DO NORTE!! Batalhão de Cavalaria 8423, última guarnição militar portuguesa nas terras uíjanas de Quitexe, Zalala, Aldeia Viçosa, Santa Isabel, Vista Alegre, Ponte do Dange, Songo e Carmona! Em Angola, anos de 1974 e 1975!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

7 071 - A morte do furriel Baldy Pereira de Zalala! Os 71 anos do furriel Peixoto e do 1º. cabo Pires!


Zalala: o 1º. cabo Jorge Silva, à viola, e o alferes
miliciano Mário Jorge Sousa , falecido a 26
de Janeiro de 2021, do doença e no Porto
O furriel João M. Belém
Baldy Pereira em 1974

O furriel Baldy Pereira foi Cavaleiro do Norte da 1ª. CCAV. 8423, a de Zalala, de onde saiu em Setembro de 1974. Faria hoje 71 anos mas faleceu a 26 de Novembro de 2016, vítima de doença.
João Manuel Baldy Belém Pereira foi especialista do BCAV. 8423, como atirador de Cavalaria, e, por terras do Uíge angolano, integrou o grupo de combate do alferes Mário Jorge de Sousa - de
Baldy Pereira
nos anos 2000
Operações Especiais, os Rangers. Ele, com os também furriéis milicianos Victor Costa e Mota Viana. 
O Baldy Pereira teve algumas diferenças com o alferes Mário Jorge Sousa, comandante do grupo de combate e simultânea-
mente adjunto do comandante da 1ª. CCAV. 8423, o capitão miliciano Castro Dias, e tal levou a que, segundo o livro «História da Unidade», saísse de Zalala e rodasse para outra unidade.
O furriel João Dias, das TRMS de Zalala, lembra-se de o ter voltado a ver a 4 de Agosto de 1975, na cidade de Salazar (actual N´Dalatando). Voltou a Portugal em data desconhecida e trabalhou na área da grande Lisboa como delegado de propaganda médica. Morava em Santo António dos Cavaleiros e faleceu a 26 de Novembro de 2016, apenas 5 meses depois de lhe ter sido diagnosticado um cancro.
Hoje o recordamos com saudade e dele aqui fazemos memória, em imagem que gentilmente nos foi cedida por Henrique, seu irmão. RIP!!!
Furriel mil. João
Domingos Peixoto


Furriel João Peixoto
faz 71 anos em Braga!


O dia 7 de Fevereiro de 2023, hoje mesmo, é tempo de festa dos dos 71 anos do furriel Peixoto, que temporariamente foi Cavaleiro do Norte do BCAV. 8423.
João Domingos Faria Taveira de Peixoto, de seu nome completo e atirador de infantaria de especialidade militar esteve adido à CCS, no Quitexe e em Carmona, em trânsito  - rodando da CCAÇ. 4741/74, a de Sanza Pombo, onde esteve com o também furriel Mota Viana - que para lá tinha tinha ido de Zalala. Depois do Quitexe e de Carmona e dos Cavaleiros do Norte, o furriel Peixoto ainda foi parar a Cabinda, para um Batalhão de Artilharia, aquartelado em Landana.
Regressou a Braga em 1975, de onde é e onde vive, casado, pai e avô, agora aposentado da função pública. Foi professor em toda a vida profissional.
Para lá e para ele vai o nosso abraço de parabéns!
Albino Jorge Pires
1º. cabo da CCS


Pires, 1º. cabo sapador, 71
anos nos Estados Unidos!

O 1º. cabo Albino Jorge de Oliveira Pires, combatente da CCS do CCAV. 8423, está hoje em festa dos seus 71 anos. Nos Estados Unidos. 
Sapador de especialidade militar, integrou o pelotão do alferes miliciano Jaime Ribeiro e, além do Quitexe, também passou por Carmona e pelo BC12 - onde concluiu a sua (e nossa) jornada africana do norte uíjano de Angola.
Natural de Folgosinho, em Gouveia (Serra da Estrela) - onde é popularmente conhecido como o Jorge Borrego, irmão do Luciano e todos eles boa gente e de boas famílias -, está há muitos anos emigrado nos Estados Unidos onde, agora já aposentado, gere «a propriedade de uma jornalista milionária» e de onde e a Portugal vem pelo menos duas vezes por ano.
Os nossos parabéns! E mais, muitos mais e bons anos de vida!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2023

7 070 - Agostinho Neto em Luanda, onde a mãe o esperava! As mortes do 1º. cabo Quaresma e do Amarante!


O 1º. sargento Francisco Marchã, da 3ª. CCAV. 8423 (de pé e à direita), com
os furriéis milicianos Graciano Silva, António Fernandes, José Fernando
Carvalho (todos da mesma 3ª. CCAV.) e Nelson Rocha (da CCS)



Aos 6 dias de Fevereiro de 1975, há 48 anos, chegaram a terras do Uíge - ao Quitexe, a Aldeia Viçosa e Vista Alegre/Ponte do Dange, onde se aquartelavam os Cavaleiros do Norte do BCAV-. 8423 - notícias da chegada de Agostinho Neto, presidente do MPLA, a Luanda. Via
«Diário de Lisboa» de 05/02/1975, com a notícia da
chegada de Agostinho Neto (presidente do MPLA)
a Luanda, onde sua mãe o esperava
imprensa da véspera.
«Desejamos, do fundo do coração, construir em Angola uma nação democrática, onde não haja mais fissuras, por onde o colonialismo que nos persegue posa dividir-nos outra vez e fazer cm que caiamos no neocolonialismo», afirmou o presidente do MPLA na sua chegada a Luanda, dois dias antes - a 4 de Fevereiro.
Agostinho Neto era esperado, à volta do aeroporto de Luanda, por «uma multidão de mais de 300 000 pessoas» - que o ouviram a falar da varanda principal, a cujas escadas de acesso chegou dentro de uma Chaimite, que o levou desde o avião, por questões de segurança.
Agostinho Neto, na chegada a Luanda, tinha sua mãe a esperá-lo (com outros familiares) e esse dia 4 de Fevereiro de 1975, coincidiu com o 14º. aniversário dos incidentes de 1961 - quando se registou o ataque às cadeias de Luanda (pelo MPLA) e morreram 14 militantes do movimento e 7 polícias portugueses.
O 1º. cabo Manuel
Quaresma da Silva


Quaresma, 1º. cabo de Santa
Isabel, faleceu há 19 anos!


O 1º. cabo Manuel Quaresma da Silva, apontador de morteiros de especialidade militar e combatente da 3ª. CCAV. 8423,  faleceu há precisamente 19 anos: a 6 de Fevereiro de 2004.
Natural de Cacia, em Aveiro e localidade muito conhecida pela sua empresa de celulose, o Quaresma foi Cavaleiro do Norte da fazenda Santa Isabel e regressou a Portugal no dia 11 de Setembro de 1975, a Cacia, de onde era e continuou a viver.  
Foi um Cavaleiro do Norte que regressou são e salvo, governou a sua vida e constituiu família, acabando por falecer devido a doença no estômago, deixando viúva e dois filhos. Tinha 51 anos, feitos a 13 de Dezembro de 2003, quase dois meses antes! 
Hoje o recordamos com saudade. RIP!
Manuel A. Nunes,
o Amarante

Nunes, o Amarante,
faria hoje 71 anos !

O soldado Manuel Augusto Nunes foi sapador da CCS dos Cavaleiros do Norte do BCAV. 8423, no Quitexe e Carmona, e hoje faria 71 anos. Faleceu a 24 de Maio de 2000.
Natural de Telões, em Amarante, por Amarante era popularmente conhecido na família dos Cavaleiros do Norte e também conhecido por ser de feitio algo irascível e demasiadamente irreverente (assim digamos). Integrou o pelotão comandado pelo alferes miliciano Jaime Ribeiro e regressou a Portugal a 8 de Setembro de 1975.
Fixou-se na sua terra natal, foi casado mas não teve descendência. Faleceu aos 48 anos, ainda muito jovem e vítima de doença. Hoje o recordamos com saudade. RIP!!!

domingo, 5 de fevereiro de 2023

7 069 - Furriel Mosteias faleceu há 10 anos! O comandante e o CSU reunidos no Songo!


Trio de amigos, furriéis milicianos da CCS do BCAV. 8423:
 Neto, Mosteias (falecido, de doença e há 10 anos!)e Viegas.
Na messe de Carmona, actual cidade do Uíge, em 1975



Os Cavaleiros do Norte do BCAV. 8423 enlutaram há 10 anos, dia 5 de Fevereiro de 2013, pela morte do saudoso furriel miliciano Mosteias, sapador de especialidade militar e figura imortal da nossa jornada africana do Uíge angolano.
Luís João Ramalho Mosteias, de seu nome completo, nasceu em Cabeção, freguesia do alentejano concelho de Mora,
Mosteias com  o filho mais velho, nascido quando
ele estava no Quitexe (a 21 de Setembro de 1974)
 distrito de Évora e chão familiar dos pais, mas cresceu na grande Lisboa - onde se formou para a vida. 
Ao tempo da nossa comum vida militar angolana, já casado, o carismático Mosteias vivia na Amadora - onde voltou a 8 de Setembro de 1975, no final da nossa jornada africana port terras do norte de Angola. Sem esquecer, alguma vez e pelas (contra)danças da vida, o companheirismo que se gerou e multiplicou  por terras uíjanas e se foi partilhando vida fora, entre abraços e contactos e encontros.
A vida levou-o para outros espaços e desafios profissionais, culturais e desportivos, entretanto pai e avô. Pai pela primeira vez, recordemos, quando jornadeávamos pelo uíjano Quitexe, a 21 de Setembro de 1974. E tanto se embebeceu de felicidade.
Os finais de 2012, tragicamente, anunciaram-lhe a fatalidade de uma doença que o levou do nosso convívio. Faleceu a 5 de Fevereiro de 2013, no Hospital do Litoral Alentejano e quando morava em Vila Nova de Santo André. Pouco depois de ter feito 61 anos - a 2 de Janeiro desse mesmo ano!  
Hoje o recordamos com muita, muita saudade, evocando um grande e inesquecível companheiro, um bravo Cavaleiro do Norte do BCAV. 8423 que um doa encontraremos e abraçaremos para de Angola e das nossas vidas falarmos.
Até esse dias, ganda Mosteias!. Com saudade e emoção! RIP!!!
A notícia no DL

Capitão Ramiro Figueiredo

Comandante no CSU
reunido no Songo !

O comandante do BCAV. 8423 deslocou-se ao Songo, no dia 5 de Fevereiro de 1975, há 48 anos e para uma reunião dos comandantes das várias unidades do Comando de Sector do Uíge (CSU). «Por sinal, a última», como sublinha o livro «História da Unidade».
O tenente-coronel Carlos Almeida e Brito fez-se acompanhar por «um delegado do MFA, já que também ali havia uma reunião desse movimento».

Alferes José Santos


Mortos dos incidentes
do Bairro de S. Paulo !

O Diário de Lisboa de 5 de Fevereiro de 1975 dava notícia dos nomes dos mortos e feridos dos incidentes de Luanda no dia 2 de anterior (ver AQUI). 
Incidentes no bairro de S. Paulo, em Luanda, neles tendo morrido 10 pessoas e, entre elas, o capitão Ramiro José Amaro de Azevedo Pinheiro e o alferes José Domingues dos Santos, ambos milicianos e da CCART. 6323, ambos ofi ciais milicianos portugueses. Um outro capitão miliciano português, Manuel Guilherme de Carvalho Figueiredo, ficou gravemente ferido. Da FNLA, morreu o sargento Álvaro Lopes.

sábado, 4 de fevereiro de 2023

7 068 - CCS a 10 de Junho de 2023 na Covilhã! Apresentação do major Ornelas Monteiro!

 

Gabriel Mendes botou palavra em Braga d disse, de estandarte na mão: «Vamos fazer o melhor
de nós na Covilhã». Ele e o Madaleno, em 2023. Na imagem estão a esposa, o furriel
Machado e o alferes António Albano Cruz

A CCS em Braga, a 10 de Setembro de 2022

A CCS dos Cavaleiros do Norte do BCAV. 8423, vai reunir-se em encontro no dia 10 de Junho de 2023 e na cidade da Covilhã.
O restaurante «Império dos Sabores» é o espaço marcado pelos dois organizadores: os soldados Francisco Madaleno, atirador de Cavalaria do PELREC, e Gabriel Mendes, que pela jornada africana do norte de Angola foi sapador de especialidade militar e em 2022, em Braga e a 10 de Setembro, se «estreou» nos encontros - depois de muitos anos emigrado em terras de França. Desde já antes do serviço  militar e da jornada africana do norte uíjano de Angola.
Já previamente combinado com o Madaleno, que no pôde estar (por razões de doença de família), assumiu(ram) a tarefa de este organizar o encontro dos Cavaleiros do Norte da CCS. E lá estaremos. Nesse dia 10 de Junho de 2023, todos os caminhos das Cavaleiros do Norte do BCAV. 8423 irão dar à Ponte Pedrinha da Covilhã e ao «Império dos Sabores».

Ornelas Monteiro
Apresentação do major
Ornelas Monteiro !

O major Ornelas Monteiro apresentou-se no RC4 a 4 de Fevereiro de 1974, há 49 anos e para assumir as funções de 2º. comandante do BCAV. 8423.
Oficial de Cavalaria, José Luís Jordão Ornelas Monteiro fez depois, no Destacamento do RC4, «a sua apresentação formal» aos futuros Cavaleiros do Norte. Mas por pouco tempo esteve nestas funções, mais ou menos 3 meses, já que «por motivos imperiosos de serviço», como refere o livro «História da Unidade», «acabou por não acompanhar o BCAV. para a RMA (Região Militar de Angola), tendo sido deslocado nas vésperas para o CCFAG» - o Comando Chefe da Forças Armadas da Guiné -, por «solicitação do Movimento das Forças Armadas».
O BCAV. 8423 partiu sem oficial nesta função para Angola, a 29 de Maio de 1974, mas só em finais de Março de 1975 viria a ter 2º. comandante: o major José Diogo da Mota e Silva Themudo.
Ornelas Monteiro nasceu a 7 de Outubro de 1931 e faleceu a 17 de Julho de 2011. Após o regresso da Guiné, foi, a 26 de Dezembro de 1975, colocado no Regimento de Polícia Militar, em Lisboa
 como 2º. comandante e adjunto do tenente coronel Carlos Almeida e Brito, no Regimento de Polícia Militar, em Lisboa. Aposentado, faleceu a 17 de Julho de 2011, vítima de doença. Hoje o recordamos com saudade! RIP!!!

Victor Vicente e Teresa, a esposa
em imagem de 2018/2019
V. Vicente 
em 2016


O 1º. cabo Victor Vicente
de Aldeia Viçosa, faleceu
há 2 anos!

O 1º. cabo Vitor Manuel Nunes Vicente, apontador de metralhadoras da 2ª. CCAV. 8423, faleceu a 4 de Fevereiro de 2021. Há 2 anos!
Cavaleiro do Norte de Aldeia Viçosa e depois de Carmona, regressou a Portugal no dia 10 de Setembro de 1975, fixando-se em Lisboa, onde já morava - agora na Rua Cesário Verde. Profissionalmente, foi empresário do sector da reparação automóvel, até que lhe despistada a doença de Parkinson. Na altura da morte, há vários meses que estava internado nos cuidados Paliativos de Clínica 
João de Deus, em Lisboa 
O João Palongo, à esquerda,
com o 1º. cabo Vicente, a 3 de
Julho de 2019, em Setúbal
onde, além da doença de Parkinson, recordou-nos o 1º. cabo José Maria Beato que «repentinamente, foi atacado por uma Paralisia Super Locrian Progressiva», doença que chegou à paralisação total de todos os músculos do corpo e o levou a perder 40 kgs. de peso e ficar dependente.

Morte de 2 irmãos
no mesmo dia !

A 4 de Fevereiro de 2021, faleceu por volta das 18 horas, não por causa das doenças de que há muito padecia, mas vítima de COVID-19, vírus que, explicou José Maria Beato, o contagiou na própria clínica onde estava internado.
Nascido a 4 de Novembro de 1952, o dia da sua morte, ao fim da tarde de há 2 anos,, coincidiu com a do irmão Aladim Alves Nunes, de 85 anos, da parte da manhã e vítima de um cancro na próstata. 
O Victor Vicente deixou viúva a esposa Teresa. RIP!!!

O Afonso Henriques e os 
furriéis Neto e Viegas, em
 Mortágua, ano de 2015

Afonso Henriques, 71
anos em Mortágua !


O soldado Afonso Henriques de Sousa, da CCS do BCAV. 8423, a companhia do Quitexe, festeja 71 anos a 4 de Fevereiro de 2023. Hoje!
Sapador de infantaria de especialidade militar e natural do Freixo, na freguesia e município de Mortágua, lá voltou a 8 de Setembro de 1975, no final da sua jornada angolana do Uíge - pelo Quitexe, primeiro, e depois por Carmona. 
Por lá tem feito vida familiar e profissional, trabalhando na Câmara Municipal de Mortágua. Foi eleito da Junta de Freguesia e o organizador do encontro da CCS de 2015.
Há dois anos, precisamente, foi um dos «covid´s» desta vida, mas recuperou tranquilamente e está aí para as curvas. Aposentado, por lá continua os seus dias e para lá vai o nosso abraço de parabéns!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

7 067 - Oficiais portugueses mortos em S. Paulo! A chegada de Agostinho Neto a Luanda !

Cavaleiros do Norte do Parque-Auto. O comandante era o alferes miliciano António Albano Cruz, de camisola  branca,
 ladeado pelo 1º. sargento Joaquim Aires, à sua direita) e furriel miliciano Norberto Morais, ambos de quico e óculos.
O Madaleno, que hoje ( pela segunda vez) faz 71 anos, está em baixo e de tronco nu 

Cavaleiros do Norte da 1ª. CCAV. 8423, a de Zalala,
com soldados do seu Grupo de Mesclagem

A chegada de Agostinho Neto, presidente do MPLA, a Luanda aconteceu a dia 3 de Fevereiro de 1975, há precisamente 48 anos. 
«É um acontecimento histórico», considerou o movimento angolano, em nota oficial.
O Governo de Transição decretou feriado 
nacional nesse dia, «tendo em consideração o significado histórico da luta de libertação nacional» nesta data, afecta ao MPLA - por ser o dia, de 1961, do ataque às cadeias de Luanda. E também os dias afectos à FNLA (15 de Março de 1961, início dos ataques no norte de Angola) e à UNITA (25 de Dezembro de 1966, ataque a Teixeira de Sousa).
A véspera tinha sido dia de graves incidentes no bairro de S. Paulo, em Luanda, neles tendo morrido 10 pessoas e, entre elas, um capitão e um alferes miliciano portugueses. Um outro capitão, ficou gravemente ferido.
Os incidentes ocorreram na madrugada de 2 de Fevereiro de 1975, depois de um boato que fez crer que um comerciante branco teria abatido dois cidadãos negros - que escondera no seu estabelecimento. A população negra reagiu e concentrou-se junto ao dito estabelecimento, para «averiguar o que se passava»Soldados portugueses e da FNLA aproximaram-se do local e houve troca de tiros; também se associaram, depois, soldados do MPLA e da UNITA, «ajudando a restaurar a ordem».
O Governo de Transição ordenou «um rigoroso inquérito» e, reportou o Diário de Lisboa, «ao anoitecera situação era calma, com o habitual movimento de pessoas e viaturas na baixa da cidade».
Os oficiais mortos foram o capitão Ramiro José Amaro de Azevedo Pinheiro e o alferes José Domingues dos Santos, ambos milicianos e da CCART. 6323. Ferido, ficou o capitão Manuel Guilherme de Carvalho Figueiredo. Da FNLA, morreu o sargento Álvaro Lopes.
Ângelo Lourenço, 1º.
cabo cripto de Zalala

Silvério e Lourenço,
1ºs. cabos de 71 anos!


Os 1ºs. cabos Cardoso, da CCS, e Lourenço, da 1ª. CCAV. 8423,  estão em festa no dia 3 de Fevereiro de 2023. Chegam aos bonitos 71 anos de idade! O que não é para todos!
Silvério Teixeira Cardoso foi Cavaleiro do Norte sapador e jornadeou pelo Quitexe e Carmona. Regressou a Portugal no dia 8 de Setembro de 1975, ao lugar de Feira da Lomba, da freguesia de Carva, no concelho de Ribeira de Pena. Actualmente, samenos que mora em Alfornelos, na Amadora.
Ângelo Pereira Lourenço foi operador-cripto da companhia de Zalala e Vista Alegre/Ponte do Dange, Songo e Carmona e regressou a Portugal no dia 9 de Se-
tembro de 1975, à Rua de Nampula, em Odivelas. 
Ainda mora em Odivelas e, já aposentado, sabemos que fez vida como profissional do Sindicato dos Taxistas, em Lisboa.
Parabéns para ambos!
O 1º. cabo Carlos Mendes

Mendes, 1º. cabo da CCS, faria
70 anos. Faleceu em 2010!


O 1º. cabo Carlos Alberto de Jesus Mendes, combatente da CCS do BCAV. 8423, faria 71 anos a 3 de Fevereiro de 2022. Infelizmente, faleceu  21 de Abril de 2010. Há 13 anos!
O Mendes era bate-chapas de especialidade militar e ao temo de há 48 anos  morava na Rua Maria Pia, em Lisboa. Lá regressou a 8 de Setembro de 1975, no final da sua (e nossa) jornada angolana do Uíge. O que sabemos dele é muito pouco: apenas que morava na Presidente Arriaga, na capital, e que terá sido sepultado no cemitério dos Prazeres. 
Hoje o recordamos com saudade. RIP!!!


Sousa, apontador de Zalala,
71 anos em Leça da Palmeira !


O soldado José António Tavares de Sousa, combatente da 1ª. CCAV. 8423, a dos Cavaleiros do Norte de Zalala, está hoje em festa, dia 3 de Fevereiro de 2023: faz a bonita idade de 71 anos em Leça de Palmeira.
Apontador de morteiros de especialidade militar e natural de Pedras Novas, em Leça da Palmeira, nos arredores de Matosinhos, lá regressou a 9 de Setembro de 1975, no final da  sua (e nossa) jornada africana do Uíge angolano - por terras de Zalala, Vista Alegre/Ponte do Dange e Carmona. E lá, em Leça da Palmeira, festeja os 71 anos, com o nosso forte abraço de parabéns!


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2023

7 066 - Comício da FNLA com incidentes em Aldeia Viçosa! Cavaleiros fazem 71 anos por duas vezes

O comandante Bundula, da FNLA (à direita e de óculos), seguido do capitão José Manuel Cruz,
comandante da 2ª. CCAV. 8423, um quadro militar da FNLA, capitão José Paulo Fernandes, 
comandante da 3ª. CCAV., e um elemento da administração civil de Aldeia Viçosa

Oficiais do BCAV. 8423 de Aldeia Viçosa, todos
milicianos: alferes Carvalho de Sousa, capitão
José Manuel Cruz, alferes António Albano Cruz
(CCS), de pé, e Jorge Capela (em baixo)

A Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) realizou um comício em Aldeia Viçosa no dia 2 de Fevereiro de 1975. Há 48 anos!

O livro da «História da Unidade», sobre o evento, regista «incidentes entre FNLA e MPLA, rapidamente sanados pelas NT», o que deixa entender que não devem ter sido de grande monta. Havia, porém, já algum cadastro de experiência nestes casos, por anteriores «situações de atrito».
A 26 de Janeiro desse ano, registara-se «a mais grave», aquando da abertura da delegação da FNLA naquela localidade. Então, os dois movimentos pretenderam fazer um comício conjunto, mas «não conseguiram entendimento».
Os movimentos de Holden Roberto (FNLA), que o Uíge considerava «seu», e de Agostinho Neto (MPLA) não se entendiam e desenvolviam intensa actividade de politização do povo, deste querendo ganhar adeptos. Por vezes, falavam, mais as armas e os ódios que as palavras de paz de de fraternidade - o que teve evidência mais trágica nos primeiros 6 dias de Junho desse ano de 1975.  
O 2 de Fevereiro de 1975 poderá ter sido o dia que os capitães milicianos José Manuel Cruz e José Paulo Fernandes, respectivamente, comandantes da 2ª. CCAV. 8423 e da 3ª. CCAV. 8423 - se acharam com o comandante Bundula, operacional da FNLA e por lá e a esse tempo tido como sanguinário e pouco escrupuloso para com os (seus) inimigos.
Francisco Madaleno

Madaleno faz 71 anos
pela segunda vez !

O soldado Francisco José Matos Madaleno festeja 71 anos, pela segunda vez, a 3 de Fevereiro de 2023.
Atirador de Cavalaria do PELREC da CCS do BCAV. 8423, nasceu, na verdade, a 1 de Janeiro da 1952 mas o registo foi feito mais de um mês depois, que era «longe» ir da Estrada do Cimeiro à cidade da Covilhã e à conservatória. Era assim, naquele tempo.
Jornadeou pela vila do Quitexe e cidade de Carmona, lá pelo Uíge angolano do norte, e regressou a Portugal no dia 8 de Setembro de 1975, à sua terra natal. Mora na Rua da Saudade (e que saudades tem ele de  Angola!...), para onde, para ele e de novo, vai renovado abraço de parabéns!
Raúl Caixarias
«protegido» pela
então namorada
e hoje esposa

Os primeiros 71 anos
do soldado Caixarias !

O soldado Raúl Henriques Caixarias nasceu 3 de Fevereiro de 1952, mas só foi registado no dia 14 seguinte. Faz 71 anos por duas vezes.
Atirador de Cavalaria de especialidade militar e membro do PELREC da CCS do BCAV. 8423, companheiro do Madaleno, de quem, aliás, se fez amigo na tropa e para a vida e as famílias. Ambos, com a peculiar coincidência de terem datas diferentes de nascimento e registo.
Jornadeou também pelo Quitexe e Carmona e regressou a Portugal no dia 8 de Setembro de 1975, à sua casa de Sarge, freguesia de Santa Maria, em Torres Vedras. Aposentado, ainda lá vive e para lá e para ele vai um grande abraço de parabéns!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

7 065 - O dia a seguir do Governo de Transição, o Madaleno e o Caixarias do PELREC!

O PELREC, da CCS dos Cavaleiros do Norte. De pé, 1º. cabo Almeida, Neves,
Messejana, Florêncio, furriel Viegas, Marcos. 1º. cabo Pinto, Caixarias e alferes
Garcia. Em baixo, 1ºs. cabos Vicente e Soares, Francisco, Leal, 1ºs. cabos
Oliveira (TRMS) e Hipólito, Aurélio (barbeiro), Madaleno e furriel Neto

Grupo de Cavaleiros do Norte do PELREC, a 3 de Junho de 2017: Caixarias e
Madaleno (que dia 3 festejam 66 anos), António, furriéis Monteiro, Neto e Viegas
 e Marcos. Em baixo, Ezequiel e Aurélio (Barbeiro)


Os dias uíjanos dos Cavaleiros do Norte do BCAV. 8423 continuavam expectantes, ao primeiro dia de Fevereiro de 1975, subsequente à posse do Governo de Transição de Angola. 
Fora na véspera e a imprensa dava conta que «está definitivamente enterrado o tempo em que, das varandas coloniais, erguidos com o trabalho forçado do nosso povo, os sorrisos de ouro e os gestos de abastança procuravam disfarçar a fome, a usurpação e o genocídio».
Posse do Governo de Transição: o Alto-Comissário
 Silva Cardoso (de perfil), Lúcio Lara (MPLA, de fato
 claro), Johnny Eduardo (FNLA) e José N´Dele, NN
(de óculos) e Almeida Santos
«A máscara do colonialismo caiu», disse Manuel Rui Monteiro, o ministro da Informação do novo Governo de Angola, perante os 5000 manifestantes que se juntaram em frente ao Palácio do Governador, em Luanda, depois da posse do Governo de Transição de Angola.
Os manifestantes exibiam bandeiras dos três movimentos de libertação - do MPLA, da FNLA e da UNITA - e, citando o Diário de Lisboa, «saudaram com um brado uníssono, de «glória, glória», os membros do Governo de Transição de Angola e o alto-comissário português, que assomaram às varandas do Palácio do Governador», logo depois da cerimónia da tomada de posse.
Almeida Santos, ministro da Coordenação Inter-Territorial, tinha sido premonitório, na cerimónia: «O acordo da Penina (o do Alvor) será o que os angolanos quiserem que ele seja: a primeira Constituição de Angola ou um simples papel tornado letra morta».
Cavaleiros do Norte do PELREC: Alberto,
1º. cabo Pinto, Madaleno e Marcos


Os 71 anos do atirador
Francisco Madaleno !


O soldado Madaleno, soldado atirador de Cavalaria do PELREC da CCS dos Cavaleiros do Norte, faz 71 anos, de registo, a 3 de Fevereiro de 2023. Mas nasceu a 1 de Janeiro de 1952. Era assim, naquele tempo.
Francisco José Matos Madaleno era residente, ao tempo da jornada angolana, na Estrada do Cimeiro, da freguesia de S. Francisco, no concelho da Covilhã, e lá regressou a 8 de Setembro de 1975. Por lá fez vida familiar e profissional, como carpinteiro, resistiu (e resiste) a alguns e delicados problemas cardiológicos e é participante habitual dos anuais  encontros da CCS. 
Os duplos 71 anos são um bom motivo para, para a cidade da Covilhã (onde reside), seguir o nosso abraço de parabéns!
Alzira e Raúl Caixarias
fotografados em 2017


Caixarias do PELREC, 71
anos em Torres Vedras !


O soldado Raúl Henriques Caixarias está em festa de anos, faz 71 a 3 de Fevereiro de 2023, mas, como era muito vulgar nesse tempo, só foi registado a 14 de Fevereiro de 1952.
Atirador de Cavalaria de especialidade militar e combatente do PELREC da CCS do BCAV. 8423, regressou a Portugal no dia 8 de Setembro de 1975 - no final da sua (e nossa) jornada africana do Uíge angolano,
 Sarge, a sua terra natal do concelho de Torres Vedras. Por lá fez vida profissional e familiar e lá goza a vida de aposentado - duplo aniversariante e estando sempre presente nos encontros anuais da CCS. E para lá vai, para Torres Vedras, o nosso abraço de parabéns!

terça-feira, 31 de janeiro de 2023

7 064 - O Governo de Transição de Angola em 1975! A inspecção ao BCAV. 8423 em 1974!

O Governo de Transição de Angola tomou posse a  31 de Janeiro de 1975, há precisamente
48 anos! Foto do jornal «
A Província de Angola", do dia 1 de Fevereiro de 1975

Os membros do Governo de Transição de Angola, um
 a um. Clicar na imagem para a ampliar. Imagem
da revista «Notícia» (de Luanda)


O Governo de Transição de Angola tomou posse a 31 de Janeiro de 1975.  Há 48 anos e nos termos do Acordo do Alvor.
Era assim formado, por cada uma das 4 partes envolvidas:
- PORTUGAL: Silva Cardoso (Alto Comissário) e Ministros Vasco Vieira de Almeida (Economia), Albino Antunes da Cunha (Transportes e Comunicações) e Manuel Alfredo Resende (Obras Públicas, Habitação e Urbanismo).
- MPLA, de Agostinho Neto: Lopo do Nascimento (Colégio Presidencial), ministros Manuel Rui (Informação), Saidy Mingas (Planeamento e Finanças) e Diógenes Boavida (Justiça); Secretários de Estado Augusto Lopes Teixeira (Indústria e Energia), Cornélio Caley (Trabalho) e Henrique Santos (Interior).
- UNITA, d Jonas Savimbi: José N´Dele (Colégio presidencial), ministros Eduardo Wanga (Educação), António Dembo (Trabalho) e Jeremias Chitunda (Recursos Naturais), e Secretários de Estado Jaka Jamba (Informação) e João Wayken (Interior).
- FNLA, de Hokden Roberto: Johnny Eduardo (Colégio Presidencial), ministros Kabaneu Sahude (Interior), Samuel Abrigada (Assuntos Sociais) e Mateus Neto (Agricultura) e Secretários de Estado Graça Tavares (Comércio), Hendrick Vaal Neto (Informação) e Baptista Nvugulu (Trabalho).
Vasco Vieira de Almeida, o futuro Ministro da Economia, em representação do Governo Português, só na semana seguinte seguiu para Luanda. 
Ver o Diário de Lisboa desse dia e também do dia seguinte.
Silva Cardoso, Alto Comissário, na sua
chegada a Luanda, em Janeiro de 1975

A Escola de Recrutas
dos Cavaleiros do Norte
do BCAV. 8423 !

A Escola de Recrutas do Batalhão de Cavalaria 8423 foi visitada a 31 de Janeiro de 1974, pelo coronel Paixão, da Arma de Infantaria e quadro superior da Inspeção Geral de Educação Física do Exército (IGEFE).
Um ano antes, precisamente, e já se sabendo mobilizados para «prestar serviço em Angola».
Os futuros Cavaleiros do Norte estavam aquartelados no Destacamento do Regimento de Cavalaria nº. 4 (RC4), no Campo Militar de Santa Margarida, e iam já na sua quarta semana da Escola de Recrutas - que, especificamente, preparava os praças para a jornada angolana de terras de África. Os praças, bem entendido, seriam, e foram, os futuros atiradores de Cavalaria do BCAV. 8423.


Celestino Eira de Zalala

Eira de Zalala, 71
anos em Vila de Rei!

O soldado Celestino Baptista Marques da Eira foi atirador de Cavalaria da 1ª. CCAV. 8423, a da mítica Fazenda de Zalala, e festeja 71 anos a 1 de Fevereiro de 2023.
Cavaleiro do Norte, também passou por Vista Alegre/Ponte do Dange, Songo e Carmona, sempre integrando o 1º. grupo de combate, comandado pelo alferes miliciano Mário Jorge de Sousa (falecido a 26 de Janeiro de 2021, de doença e no Porto), com os furriéis Victor Costa e os também já falecidos Baldy Pereira (a 26 de Novembro de 2016, vítima de doença e em Santo António dos Cavaleiros) e Évora Soares (de doemça e a 21 de Agosto de 2008). 
Natural de Lousa, da freguesia e concelho de Vila de Rei, lá regressou a 9 de Setembro de 1975, no final da sua comissão de serviço por terras do norte de Angola. Para lá e para ele vai o nosso abraço de parabéns!