segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

3 244 - O ultimo dia dos Cavaleiros do Norte em Luísa Maria

A Fazenda Luísa Maria, de onde há precisamente 41 anos saiu a última 
guarnição dos Cavaleiros do Norte, comandados pelo alferes Carlos Silva

Alferes Carvalho (o primeiro à esquerda) e
Capela (de cócoras), com o capitão José Manuel
Cruz (comandante da 2ª. CCAV. 8423) e os
alferes Cruz (CCS) e Periquito (2ª. CCAV.)




Os Cavaleiros do Norte disseram adeus ao Destacamento da Fazenda Luísa Maria no dia 14 de Dezembro de 1974! Há 41 anos!!! Completava-se, assim, a rotação das várias Companhias do BCAV. 8423.
O pelotão lá aquartelado era, ao tempo, comandado pelo alferes miliciano Carlos Silva, da 3ª. CCAV. 8423, a de Santa Isabel e ao tempo já no Quitexe, que, segundo leio no Livro da Unidade, «recolheu à sede»
Alferes João Machado (em cima) e
Carlos Silva (em baixo)
O Destacamento «foi extinto» e, ainda segundo o LU, «completou-se, deste modo, a primeira fase da retracção do dispositivo do subsector».
«Efectivamente, o meu pelotão esteve um mês na Fazenda Luísa Maria e «quase» tenho a certeza de ter sido o último. Já tínhamos deixado Santa Isabel e «pousado» no Quitexe. E lembro-me de termos carregado algum material, o que pressupõe o seu fim», recordou Carlos Silva.
A 3ª. CCAV. concluiu a rotação para o Quitexe a 10 de Dezembro, pelo que não sobram dúvidas: foi o grupo de combate de Carlos Silva o último de Luísa Maria. 
O primeiro pelotão da 2ª. CCAV. a aquartelar
em Luísa Maria foi o do alferes João Machado, mal chegou a Aldeia Viçosa - a 10 de Junho de 1974. É lendário o consumo de todo o vinho da Companhia, que por lapso lá foi parar e foi consumido em menos de um mês, «afogando» as saudades dos Cavaleiros do Norte recém-chegados de Lisboa. Seguiram-se, os grupos de combate dos alferes Jorge Capela e Domingos Carvalho de Sousa (também da 2ª. CCAV., a de Aldeia Viçosa) e Carlos Silva (da 3ª. CCAV., a de Santa Isabel). Foi este o último comandante de Luísa Maria - hoje se fazem 41 anos!
É dos quatro jovens oficiais milicianos a certeza da grande hospitalidade dos responsáveis da Fazenda Luísa Maria. «Jornadeei por lá e jamais esquecerei a hospitalidade do sr. Eduardo e família», comentou Carlos Silva. 
João Machado não se cansa de louvar os anfitriões, citando Eduardo Silva e José Dias Craveiro. O mesmo sucedeu da parte de Jorge Capela e Domingos Carvalho de Sousa - hoje  ouvidos sobre Luísa Maria.
Cavaleiros do Norte do PELREC numa das várias
missões na fazenda Luísa Maria: Hipólito e (furriel) Viegas 

(atrás), Caixarias, Ezequiel e Marcos (à frente)
Ao dia de há 41 anos, o Diário de Lisboa noticiava que «a cimeira dos Açores dos movimentos de libertação angolanos e representantes do Governo Português não se realizará antes do Natal, como Portugal teria proposto, mas mais próximo do fim do ano, mesmo no princípio de Janeiro» - como, de resto, veio a acontecer, não nos Açores, mas no Alvor (Algarve).

Sem comentários:

Enviar um comentário