quarta-feira, 8 de março de 2017

3 694 - Expulsões de Angola e mais Cavaleiros no BCAV. 8423

Cavaleiros de Zalala em excursão a Malanje e Quedas do Duque de Bragança. De pé, Almiro Brasil, João
 Dias (furriel), Lains dos Santos (alferes), Évora Soares (furriel), Carlos Carvalho (1º. cabo enfermeiro) e
 António Lopes Agra (Famalicão). Em baixo, Carlos Costa (TRMS) e Fernando Silva (Mamarracho)

Luciano Gomes, Ezequiel Silvestre e Victor Vieira (o Sa-
 cristão, que se apresentou no BCAV. 8423 há precisamen-

 te 43 anos), 1ºs. cabos da CCS dos Cavaleiros do Norte
A 8 de Março de 1975, um grupo de Ca-
valeiros do Norte da 1ª. CCAV. 8423 - a de Zalala, ao tempo já em Vista Alegre e Ponte do Dange - excursionou a Ma-
lanje e Quedas do Duque de Bragança.
A iniciativa incluía-se no programa de acção psicológica desenvolvido pelo BCAV. 8423, desde Fevereiro, e em cuja rota por vezes se incluía o Cacuso e Salazar (agora N´Dalatando). O dia foi também o da chegada a Lisboa de dois dos 12 jornalistas expulsos de Angola, por ordem da Comissão Nacional de Defesa, que era presidida pelo Alto Comissário Silva Cardoso.
Notícia do Diário de Lisboa de 8 de Março de 1975
Os jornalistas expulsos eram João Fernandes e Sousa Oliveira (ou Penteado dos Reis, não se sabia ao certo), respectivamente director e redactor da revista «Notícia», entretanto suspensa e que se editava em Luanda. 
A Associação de Jornalistas de Angola (o sindicato local da classe), e os jornais O Comércio e A Província de Angola (ambos diários) discordaram da «deportação sem culpa formada».
Ao contrário, 47 jornalistas apoiavam a decisão, assim como a revista ABC, que denunciou «a posição reaccionária assumida pelo Sindicato dos Jornalistas». A Emissora Oficial de Angola também concordou com a decisão da Comissão Nacional de Defesa.

Um desertor e duas
prisões do BCAV 8423

A 8 de Março de 1974, um ano antes, o soldado António Joaquim Faria Bacelar de Brito, da 3ª. CCAV. 8423 «passa(ou) à situação de  desertor». A Ordem de Serviço nº. 60, de 13 de Março desse ano, dá conta que «se encontrava na situação de ausência ilegítima sem licença desde 28 de Fevereiro de 1974».
Não sabemos o que se passou, entretanto, mas a verdade é que Bacelar de Brito embarcou para Angola a 5 de Junho de 1974 e de lá regressou a 11 de Setembro de 1975 - à Avenida 24 de Julho, no Pátio da Torrinha, em Lisboa.
O mesmo dia 8 de Março de 1974 foi tempo para a entrada na prisão do Campo Militar de dois soldados da 2ª. CCAV. 8423, para «cumprir 10 dias de prisão disciplinar agravada»: Carlos C. Dias (que não seguiu para Angola, não sabemos a razão) e António Martins Soares, atirador de Cavalaria (que seguiu).
Victor Vieira, 1º. cabo, o Sacristão, em
2016 e com a esposa e o neto

Cavaleiros do Norte

do BCAV. 8423

Os primeiros dias de Março de 1974 foram tempo de outras apresentações no Batalhão de Cavalaria 8423 (BCAV. 8423), de futuros Cavaleiros do Norte transferidos de várias unidades do país, «por terem sido nomeados para o ultramar», de várias especialidades e para as 4 companhias. 
O futuro, ninguém o sabia, mas trazia-lhes pela frente a jornada africana do Uíge angolano.
Coelho e Borges, Cavaleiro do
Norte de Zalala (em 2014)

CCS, a do
Quitexe

- Victor Manuel da Cunha Vieira, 1º. cabo auxiliar de serviços religiosos (sacristão), ido do RI 6, em Évora. Natural e residente na Vidigueira.


1ª. CCAV. 8423, a
da Fazenda Zalala
Celestino Eira

Transferidos do BC 3, a 1 de Março:
- Mário Ventura Soares da Costa, soldado atirador de Cavalaria. De Vale de Figueira,  S. João da Talha, Loures.
- José Borges Martins, soldado atirador de Cavalaria. De Braçais, freguesia de Arega, em Figueiró dos Vinhos.
Cavaleiros de Zalala: Fião (em ci-
ma), Almeida e Tarciso
- Celestino Baptista Marques da Eira, soldado atirador de Cavalaria. De Vila de Rei.
- Carlos Manuel Delgado Correia, soldado atirador. Residente na Vivenda Vinagre, freguesia de S. Salvador, em Santarém.

A 26 de Fevereiro, 
do RI 16 e todos
condutores:
- José Alves Rocha, natural de Vila Chã, em Arcozelo, Vila Nova de Gaia.
- Altino Gomes Fião, residente no Bairro de S. José, na freguesia e concelho de Ovar.
Também desta CCAV. 8423 (mas sem destino conhe-
cido, depois da comissão em Angola), também se apresentaram os condutores Tarciso Manuel da Costa Rebelo, Jaime Galvão Fernandes, António Martins Lopes, Joaquim Carlos da Costa Silva, Orlando Marques de Oliveira, José Fernandes dos Santos Romão e Mário Pereira de Almeida. Alguém sabe deles?
José Nunes, Cavaleiro de Aldeia Viçosa

2ª. CVAV. 8423, a
de Aldeia Viçosa

- António Tenreiro Abrantes, natural de Vila Cortez da Serra, em Gouveia.
- José Manuel Vieira Rodrigues, de S. Marcos da Serra, em Portimão.
- Samuel Pereira de Oliveira, natural da freguesia de Gueifães, concelho da Maia.
Aniano Tomás em 74/75
(em cima) e 2016 (baixo)
- Fernando Augusto da Silva Ferreira.
- António D. Oliveira (origem e situação desconhecida).
- Joaquim José Batanete Palma, natural da freguesia de Pardais, concelho de Vila Viçosa.
- José Correia Magro, de Rosmaninhal, em Idanha-a-Nova.
- João da Silva Oliveira, de Penela, na Póvoa do Varzim.
- José Nunes, de Maceira Liz, em Leiria.
- Aniano Mesquita Tomás, da Ventosa, na Mealhada.
Todos eles eram condutores e transferidos do RI 16,

Chambelo de Santa 
Isabel, 65 anos!

O Chambelo, condutor da 3ª. CCAV. 8423, a da Fazenda Santa Isabel, festeja 65 anos a 8 de Março de 2017.
António Joaquim Pestana Chambelo, de seu nome completo, era residente na Penha Longa, no Linhó, no concelho de Sintra, e lá regressou a 11 de Setembro de 1975, no final da comissão em Angola. Continua a morar em Sintra, mas agora nas Escadinhas de Alba Longa, para onde vai o nosso abraço de parabéns!

Sem comentários:

Enviar um comentário