sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

1 953 - O dia dos 23 anos do Francisco Neto

Viegas e Neto, dois furriéis milicianos no jardim do Quitexe. 
O edifício do que foi o restaurante Pacheco, mesmo em frente à CCS




Há 39 anos, o Francisco Neto fez 23!!!! Alapámo-nos no Pacheco e vai de devorar uns belos camarões, regados a cucas, ou n´golas ou ekas, ou nocais (varreu-se-me a memória), com sobremesa de bife com batatas fritas e ovo a cavalo. Era moda e sabia bem!! 
A Maria do Lázaro, senhora fortalhaça, de meia cor e mulher do Pacheco, tinha mãos de luxo para os pitéus e é muito provável que, sabendo ela a razão da panqueca, nos tenha presenteado com alguma especialidade culinária, condimentada de sabores africanas. Foi isto em 28 de Fevereiro de 1975, na uíjana e saudosa vila do Quitexe.
Um ano depois, feliz da vida, acasamentou-se de amores com a Eunice (a Ni), selando no altar da capela do Beco um amor que se tinha multiplicado pelo tempo de 15 meses da nossa jornada africana do Uíge angolano.
Hoje, hoje mesmo (dia destes anos todos), o Neto andou lá pela vida dele e temos almoçarada marcada para 4ª.-feira, o dia mais próximo que as nossas agendas conciliam. Não vai faltar tropa na sobremesa!
Andávamos lá nós pelo Quitexe, em festa natal e preparando malas para Carmona e, em Portugal, aumentava o preço da bica. Para 25 tostões!!! Ou 3$50, se fosse na esplanada. Uma escandaleira. Já imaginaram???!!! 0,0125 euros!!!! Sandes, torradas e bolos, passaram a preços livres. As sandes tinham de ter pelo menos 30 gramas de queijo ou fiambre. Ou 40 a 50, os croisssants, bolos de arroz, caracóis, este tipo de pastelaria.
Outra novidade, era a hora do fecho das tabernas: às 11,30 horas da noite. A multa, pesava: dois contos! Seriam dez euros, agora!

1 comentário:

  1. Um Feliz Aniversário, Camarada Neto. Parabéns.

    ResponderEliminar