quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

3 316 - Férias em 1974 e dias de espera em 1975, para Carmona

Cavaleiros do Norte no Quitexe, em Dezembro de 1974 - todos furriéis 
milicianos. Atrás, João Cardoso, José Fernando Carvalho, Francisco 
Bento, Luís Costa (?, dos Morteiros)e António Fernandes. À frente, Nelson 
Rocha, Viegas, Norberto Morais, José Pires, José Carlos Fonseca e 
António Flora. Mais à frente, Delmiro Ribeiro

João Aldeagas e José Louro (tapado pela
flor), dois furriéis milicianos de Zalala, a
9 de Setembro de 1995, no encontro de Águeda 


A expectativa sobre a nossa rotação para Carmona (actual cidade do Uíge) era cada vez maior, nas não nos chegavam notícias definitivas - sabendo-se, porém, que já era seguro que não iríamos para Luanda (onde nos desejava a Região Militar de Angola), mas para o BC12, em Carmona.
A 24 de Fevereiro de 1975, a FNLA comprometeu-se a libertar um dirigente do MPLA, detido no decorrer dos incidentes na cidade de Dalatando (então Salazar), assim como, segundo o Diário de Lisboa, «a levantar os controlos do acesso a Dalatando». 
Dalatando (ou a Salazar do tempo colonial) era uma cidade relativamente perto do Quitexe e um dos destinos dos passeios militares que ao tempo de realizavam, nomeadamente ao fim de semana. Assim como a Malange, Cacuso e às Quedas do Duque de Bragança. Ficava a uns 200 quilómetros, distância que, em termos de Angola e em estradas de asfalto, como era o caso, era como ir ali e vir.
A véspera (dia 23 e domingo) tinha sido de futebol, em Portugal. O Benfica recebeu e venceu (2-0) o SC de Espinho e o Sporting foi vencer (2-1) a fato, enquanto o FC Porto perdeu (0-2) em Guimarães. Outros resultados: Boavista-Cuf, 6-1; Leixões.Oriental, 2-1; U. Tomar-Belenenses, 0-1; Atlético-Olhanense, 1-0; V. Setúbal-Académico, 2-0. Este Académico é a actual Académica da Coimbra. 
Os relatos era avidamente escutados no Uíge angolano, pelas guarnições militares (e mesmo pelos civis) e Benfica liderava a prova, com 38 pontos, seguido do Sporting (35), FC Porto (32), Guimarães (31), Boavista (29) e Belenenses (24), Farense (23), Leixões (22), Setúbal (21) e Atlético (20), CUF (19), U. Tomar (18), Oriental(15), Académico/a (14), SC Espinho (13) e Olhanense (12). Ao tempo, a vitória valia 2 pontos e um o empate.
Francisco Miranda, atirador do
PELREC e vencedor da Volta a
Portugal em Bicicleta de 1980
Um ano antes, os futuros 
 Cavaleiros do Norte gozavam férias, depois da instrução especial da Escola de Recrutas, no Destacamento do RC4, em Santa Margarida. Já todos os praças sabiam da mobilização para Angola (a melhor que os poderia acontecer, entre ir para lá, para Moçambique e muito menos para  Guiné). E assim foi! Um atirador do PELREC não foi, o Francisco Miranda - que fez troca com outro militar.Viria a notabilizar-se com ciclista profissional e, em 1980, vencedor da Volta a Portugal em Bicicleta, ao serviço do Lousa - somando as camisolas verde (classificação por pontos) e branca (combinado) à amarela. Em Voltas, ganhou 3 etapas e o currículo inclui dois títulos nacionais de rampa (pelo Sporting e Bombarralense) e um Grande Prémio JN.

Sem comentários:

Enviar um comentário