sábado, 5 de agosto de 2017

3 844 - O segundo dia da última coluna de Carmona!

A coluna dos Cavaleiros do Norte, de Carmona para Luanda, via Nega-
ge, Salazar e Dondo, há precisamente 42 anos, um hélicóptero de apoio
foi alvejado. A 5 de Agosto de 1975, nos céus de Salazar (N´Dalatando)


Umm helicóptero da Força Aérea foi alvejado
durante a coluna de Carmona para Luanda

A coluna dos Cavaleiros do Norte, «agora com cerca de 700 viaturas», retomou a marcha pelas 19 horas de 4 de Agosto de 1975 e, uma hora depois, atravessou o controlo de Camabatela, onde se incorporaram «mais uns quantos civis». Às 20,30 horas, chegou a Samba Caju, onde pernoitou.
O Livro da Unidade refere que «a guerra psicológica travada no Negage fora esgotante para os nervos», mas, também sublinha(va), «estavam vencidas as primeiras grandes dificuldades».
A marcha foi retomada às 5  horas da
Cavaleiros do Norte de Aldeia Viçosa: Oliveira,
Ferreira e Rocha. Atrás, o furriel Ferreira
e... quem é este Cavaleiro do Norte?
manhã, depois de uma noite mal dormida, e 2,30 horas depois «atingiu-se o controlo de Samba Caju, onde surgiram novas dificuldades, novamente torneadas». Mas que, de qualquer modo, pararam a coluna por uma longa hora.  

Héli alvejado e
viaturas abandonadas

Vila Flor atingiu-se às 11,30 horas e «mais viaturas se juntaram à coluna».
Daí para a frente, e em vários quilómetros
(quantos?), era terra de ninguém. Nem da FNLA, de cujo feudo ia a coluna dos Cavaleiros do Norte, nem do MPLA - em cujo território ia entrar. Por volta das 13 horas fez-se «nova paragem para juntar todas as viaturas e refazer a coluna».
«Ia-se entrar na terra do MPLA e havia que reconhecer itinerário. Para tal, recorreu-se aos helicópteros estacionados em Salazar e que estavam à nossa espera», reporta o Livro da Unidade.
Um deles foi alvejado durante o reconhecimento aéreo e, por volta das 13,30 horas, «contactou-se o MPLA, via terrestre», logo se retomando a marcha e meia hora depois chegado a Lucala - onde se abandonou mais uma viatura. 
Salazar, actual N´dalatado, era logo a seguir, lá se chegou às 16 horas, e demorou-se 4 horas a atravessar a cidade. Nomeadamente, porque tiveram de ser reparadas várias viaturas, uma delas lá ficando abandonada.
A marcha foi retomada, agora «incorporando uma Companhia de Paraquedistas que se encontrava de reserva no Comando Terrirorial de Salazar». Passou-se ao Dondo (às 23 horas) e por volta da uma gora da madrugada de 6 de Agosto de 1975, fez-se «nova interrupção de marcha» - retomada às 7 horas e a 174 quilómetros de Luanda.

O Rocha faria hoje
66 anos. Faleceu
em Maio de 2015

Rocha de Aldeia Viçosa
faria 66 anos. Faleceu há 2!

Rocha, 1º. cabo enfermeiro da 2ª- CCAV. 8423, faria 66 anos 5 de Agosto de 20917. Faleceu a 9 de Maio de 2015, de doença.
António Gomes da Rocha era do lugar do Ribeiro, em Melhundos, Penafiel - aonde voltou a 10 de Setembro de 1975. Por lá fez vida e era habitual participante dos encontros dos Cavaleiros do Norte de Aldeia Viçosa. Resida na António Ferreira Gomes, em Penafiel, e hoje o recordamos com saudade. RIP!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário